top of page

Como e porque Gilmore Girls se tornou a minha série favorita

Olá, leitor! Que bom nos encontrarmos por aqui.


Já há algum tempo venho pensando em falar sobre uma das séries que roubou o meu coração e muitas das minhas horas de lazer, Gilmore Girls, e como e porque ela se tornou a minha favorita.


Bem, vamos começar pelo como. Foi, inusitadamente, em um trabalho da faculdade que eu soube da existência da série e, também, um pouco do que se tratava. Esse trabalho em questão foi feito em grupo, eu e mais duas amigas. Era sobre metodologias de ensino de língua inglesa (há pouco tempo me formei em Letras - Português/Inglês), sendo que cada uma tinha ficado responsável por uma metodologia, e deveria montar e apresentar uma aula baseada nela.


Uma de minhas amigas ficou responsável pelo método chamado comunicativo, que tem foco em ensinar a língua estrangeira a partir de situações reais de comunicação. Então, ela teve a ideia de usar Gilmore Girls como um contexto para criar a situação de linguagem da aula. Além da aula em si, na questão metodológica, ter ficado muito divertida, eu fiquei bastante interessada pelo tema, que era justamente a série.


Durante a aula, minha amiga criou uma dinâmica de "qual personagem é você?", em que mostrava as principais características dos personagens, e nós deveríamos escolher com quem mais nos parecíamos. Foi a primeira vez que vi os principais rostinhos que me acompanhariam durante sete temporadas em um futuro próximo. Ah, e é claro, logo de cara me identifiquei com a Rory: a menina que sempre está lendo e falando sobre livros, a aluna dedicada e quieta.


Na mesma semana que aconteceu a apresentação desse trabalho, me peguei procurando a série na Netflix e, em pouco tempo, fui completamente cativada. Já queria passar, sempre, um pouquinho do meu tempo livre na companhia das Gilmore Girls. Assisti às sete temporadas em relativamente pouco tempo, o que significa que maratonei episódios diversas vezes. Aproveitei, principalmente, as férias de final de ano para assistir bastante! Hoje, já penso em quando vou começar a ver tudo de novo.


E agora, algum tempo depois de ter assistido a todos os episódios disponíveis, fiquei reflexiva pensando no que essa série significou pra mim para que se tornasse tão especial, tão importante. Afinal, passei a considerar como a minha favorita, e precisa haver motivo.


Partindo, agora, para o porquê, o principal ponto que me faz amar Gilmore Girls é o relacionamento entre mãe e filha que existe entre Lorelai e Rory. Eu gosto muito de como a série traz essa relação nas suas mais diversas nuances: mostra mãe e filha se dando bem e compartilhando gostos, vendo filmes e comendo juntas; às vezes, mostrando opiniões opostas, discutindo e entrando em conflitos; por outras vezes, aborda questões mais sérias e intensas sobre como a existência de uma pesa sobre a da outra, sobre serem mãe-filha como uma coisa só, tão iguais – até no nome, já que Rory é diminutivo de Lorelai – mas ainda assim tão diferentes, já que, afinal, são duas pessoas, vidas e vivências distintas. Ao meu ver, isso é algo que atravessa completamente a série, e eu sempre ficava reflexiva sobre o assunto, que é mostrado de modo bem realista, sutil e intenso, tudo ao mesmo tempo.

No entanto, Gilmore Girls é muito mais sobre uma série sobre mãe e filha. Por um lado, é exatamente aquilo que preciso assistir depois de um dia cheio: os acontecimentos da cidadezinha de Stars Hollow, a convivência entre a comunidade, a Lorelai indo todos os dias pegar um café na lanchonete do Luke, as cenas da Rory devorando algum livro e falando sobre ele, personagens engraçados fazendo bobagens, muitas referências de filmes, músicas e cultura norte-americana...


Por outro lado, Gilmore Girls é um convite para abrir a mente às mais diversas reflexões, como a pressão por ser uma filha, aluna, amiga, profissional perfeita; sobre a complexidade que existe em toda e qualquer família; sobre como lidamos com as situações e pessoas ao nosso redor – e com nós mesmos – e como isso afeta a nossa vida.


E é por tudo isso e um pouco mais que eu me apaixonei por essa série, tão cheia de leveza e, também, de seriedade. Gilmore Girls é uma xícara de café quentinho em um dia frio. É colo de mãe depois de um dia ruim. É sentir orgulho da filha. É compartilhar a comida preferida com aquela pessoa amada. É, também, perceber o que há de ruim em si e no outro. É fazer escolhas erradas, é errar feio. É retrato da comum vida humana.


E você, já assistiu essa série? Se sim, me conta aqui o que ela significou pra você. Por aqui, ela se tornou uma parte especial de mim. E eu espero que você, leitor, também tenha se encontrado em alguns desses pedaços – do texto ou da série. Ou de ambos.


Até a próxima!

Comments


bottom of page